terça-feira, 31 de agosto de 2010

Chorizo à Evita Péron















A visita ao Museu Evita Péron, em Buenos Aires, me fez relembrar os anos 30 no mundo inteiro. Eram os duros tempos da forte influência do Facismo e das vitórias do Eixo na Guerra que se travava na Europa. Na Argentina em especial, o coronel Juan Domingo Péron, começou a simpatizar com o facismo de Mussolini e ao assumir a Secretaria do Trabalho nos anos 40, tratou de aproximar-se dos sindicatos conquistando o apoio dos mesmos para chegar ao poder. Uma série de medidas tomadas a favor dos trabalhadores fez dele um tipo de "messias" defensor dos trabalhadores, sendo eleito presidente com 56% dos votos em 1946. No Brasil os acontecimentos políticos de Buenos Aires, influenciaram na ruptura do regime de Getúlio Vargas em 1945. Péron e Getúlio tinham em comum o culto a personalidade e eram apoiados numa aliança entre os sindicatos organizados em torno da CGT, envoltos pela bandeira do nacionalismo.
Mas voltando ao Peronismo, que nada mais era que um amontoado de elementos contraditórios, uma mistura de facismo de inspiração social-democrata, moldado em práticas populistas, teve como um dos grandes trunfos a ex artista de rádio Eva Duarte, que se casou em 1945 com o ditador. Evita no poder, instituiu uma intensa política de auxílio aos desamparados, organizando e apoiando medidas filantrópicas a favor de hospitais, escolas, abrigos, creches. Fundou em 1946 o Partido Peronista Feminino e em 1950 aprova o direito das mulheres votarem, 18 anos depois que Getúlio Vargas institui o voto feminino no Brasil. Em 1948 cria a Fundação Eva Péron, fazendo de sua rotina uma incansável busca na solução dos problemas sociais dos mais humildes.
Evita morre vítima de câncer de útero em 1952, mas apesar do breve período que esteve no poder se consagrou entre a população pobre argentina como mulher santa. Fato que motivou o sequestro de seus restos mortais pela Revolución Libertadora, que depusera Péron, impedindo que os peronistas transformassem seu túmulo em local de culto. E somente em 1971 que seu corpo foi devolvido a Péron. Seus restos mortais descansam no cemitério da Recoleta e é uma unaminidade transformada em mito, cultuada ainda nos dias atuais.
Ingredientes:
-1 kg de contra filé ( chorizo é o corte argentino, de 2 dedos de espessura)
-Azeite e orégano o quanto baste
Modo de Preparo:
Azeite uma chapa de ferro. Em seguida passe a carne por mais ou menos 5 minutos de cada lado. O ponto de cozimento é a gosto. Finalize com sal e orégano.

Esse vinho é elaborado com um corte das uvas Cabernet Sauvignon e Merlot, com predominância da C. Sauvignon. É proveniente da provínciade Mendoza, Maipú.
Um vinho de cor intensa e aromas complexos. Em boca revela uma excelente estrutura com taninos suaves e maduros, com um final prolongado.Ideal consumir
entre 18 e 20 graus.













Todo dia é dia de manifestação nas ruas de Buenos Aires...o povo quer emprego e dignidade!














Evita e Péron nos anos 40.













A bandeira argentina está por toda parte da cidade...são patriotas ao extremo!














Túmulo de Evita no Cemitério da Recoleta!


















D. Rosa conferindo uma das novelas de rádio que evita protaganizou!

















Lenda viva do Peronismo!














Evita empolgava as massas!














Os vestidos mostravam o bom gosto da diva!















Evita chegou a dedicar 20hs por dia as causas sociais!

2 comentários:

Renee disse...

Evita podria olvidarse de todo al casarse con Perón, mas era noble demas, estaba marcada demás por la infancia de miserias que vivió.Hay gente que se endurece con el dolor, ella al contrário, se agigantó como ser humano.Un ser humano infinitamente mejor que todos los politicos que la sucedieron.No hay palavras para dedicarle a esta fragil y al mismo tiempo fuerte mujer que dedicó su vida a los desvalidos.Argentina no seria lo que es sin Evita y ella no es motivo de orgullo apenas para los argentinos, como lo es también para todos los latinos.Soy uruguaya y no era nacida quando Eva murió, mas su história es conmovente y la admiración que siento por este grande coração llamado Eva Duarte es enorme.El amor que Eva tenia por sus hermanos era indiscutible y no me resta dudas de que su espiritu los protejerá siempre.Esa musica siempre me hace llorar.Dios te bendiga Eva!

Renee disse...

No llores por mi argentina.MUSICA MARAVILLOSA!